<$BlogRSDUrl$>

22 dezembro 2002

Salve a todos!
Faz tempo que não atualizo o blog eu sei, desculpem-me. Mas agora nesse período de recesso vou poder adiantar algumas coisas que estavam pendentes e poder dar atenção a outras, como esse Blog, que, para minha alegria, é lido regularmente!
Aí vai uma pequena atualização:
Decobri dois discos do Nelson Freire que nunca saíram comercialmente, ou seja, nunca foram vendidos, apenas dados de brinde.
Um deles deixa qualquer fã de piano babando, talvez não pela música, mas pelos intérpetes. Trata-se do Hexameron do Liszt, para 6 pianos e Orquestra. A Orquestra é a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB). Os pianistas? Vejam só:

- Jacques Klein - grande pianista e professor. Há um volume dedicado a ele na série "Grandes Pianistas Brasileiros", da MasterClass. Para quem não conhece nada dele, vale a pena.

- João Carlos Martins - O Glenn Gould brasileiro (heheheh). Gravou a obra integral do Bach para teclado, e possui muitos outros discos. Hoje, devido a uma série de fatos azarentos, ele não possui mais os movimentos da mão direta, e está se dedicando ao repertório composto para a mão esquerda. Ainda não pude ouvir seu CD recente que inclui a Chacona do Bach, mas tenho certeza que ele brilhou.

- Antônio Guedes Barbosa- Talvez o pianista brasileiro mais impressionante depois de Nelson Freire e Guiomar Novaes. Foi aluno de Vladimir Horowitz (o pianista que eu mais admiro no mundo), e infelizmente morreu com pouco mais de 40 anos, devido a um ataque cardíaco. Gravações como a integral das 51 Mazurcas e 19 Valsas de Chopin, e transcrições de Liszt (todas pela Kuarup) deixam registradas a sua perfeição na técnica pianística e pureza do som, além do virtuosismo impresisonante.

- Arthur Moreira Lima - O píanista brasileiro que mais gravou discos (Talvez a única que possa competir com ele nesse aspecto é a Eudóxia de Barros). São 60 discos solo, e mais outras dezenas de partipações em outros discos. O segundo lugar na "Chopin Competition" em 1965 lançou-o numa carreira brilhante que sempre alternou entre estudos transcendentais e batuques Nazarethianos. Por falar nisso, eu ainda gostaria de agradecê-lo pela atenção que ele já dedicou ao Ernesto Nazareth. Foram cerca de 100 gravações de músicas do Rei do Tango Brasileiro (incluindo regravações, como o brejeiro, que ele gravou 3 vezes).

- Paulo Maluf - Não é brincadeira, o Maluf é pianista, e já tocou ao lado de todos esses caras! hahaahah. Isso é que é privilégio... Ele foi aluno do Gilberto Tinetti, mas um amigo me deu a informação de que a versão que ele tocou para o Hexameron era facilitada, só fazia acordes :)

E o sexto pianista era o próprio Nelson.

O disco é de 1975, pela Gravações Elétricas S.A. e, suponho eu, só faz parte da coleção de apenas alguns poucos felizardos... Alguém pode me dar alguma dica de como conseguir essa preciosidade? Pensei em escrever para o Paulo Maluf, mas em qualquer busca que se dê pelo nome dele, só se acha lista de falcatruas, junto com políticos corruptos (se alguém o conhecer, por favor fale que minha família votou nele e que meu e-mail é afsdias@terra.com.br :O)

Outro disco promocional que tinha passado despercebido pela minha busca é o do Nelson tocando o Concerto para piano No.4 do Beethoven, com a OSB. Foi gravado em 1999, e também só foi distribuído de brinde. O maestro foi o Yeruham Scharovsky, que, aliás vai reger este mesmo concerto, com este mesmo solista em março de 2003 no Rio (por que não em Brasília? :). Bem que alguém poderia levar um gravadorzinho pra registrar tudo da platéia. Esse é um nicho bem interessante, há colecionadores que só procuram gravações feitas da platéia, as "bootleg recordings", em inglês. Em setembro, a Cultura FM transmitiu a apresntação do 4º Concerto do Beethoven que o Nelson toou em São Paulo. Como aqui em Brasília a Cultura FM não é captada, eu só puder ouvir e gravar via internet, mas infelizemnte o som fica com qualidade muito baixa.

Essa informações eu consegui no site da Orquestra Sinfônica Brasileira www.osb.com.br , onde pode ser encontrada a discografia completa deles, que já percorreram mais de 40 anos de gravação. Parabéns ao pessoal do site que incluiu esta listagem, isto é algo muito importate, e que devia ser feito por todos os músicos que têm páginana internet.

A outra novidade é que chegaram a minhas mãos mais dois discos da Guiomar que eu não tinha (valeu Vinícius!). São eles :
O. Pinto - Scenes of Childhood
H. Purcell - Hornpipe
I. Philipp - Feux-Follets Op. 24 #3
Vuillement - Musette

e

R. Schumann - Piano Concerto (A Minor) Op. 54 - Pro Musica Orchestra, Vienna. Hans Swarowsky (cond.)

Todos os são 2 pela Vox, e nunca foram relançados em CD. A Guiomar gravou o Concerto do Schumann duas vezes, e as duas são espetaculares. Para quem não gosta das Cenas Infantis do Octávio Pinto (gravada pela Guiomar 3 vezes), encontrará nessa regravação bons motivos para gostar dela.

Bom, por enquanto é só. Encomendei pela Amazon hoje um CD do selo Pearl com o resto das gravações que a Guiomar fez pela
Columbia na década de 30. Quando chegar eu comento aqui.

Grande abraço a todos,
Alexandre Dias- afsdias@terra.com.br


This page is powered by Blogger. Isn't yours?